Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Pronera
Início do conteúdo da página

UFPA inicia Graduação em Geografia para beneficiários da reforma agrária

Acessos: 868

As aulas do Curso de Licenciatura e Bacharelado em Geografia, com ênfase em Desenvolvimento Territorial Rural, uma iniciativa da UFPA, em parceria com o Instituto Nacional da Reforma Agrária (Incra), dentro do Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária (Pronera), tiveram inicio no ano de 2015. A graduação, de modalidade intervalar, é destinada, exclusivamente, a beneficiários de projetos do Incra. O curso não é o primeiro oferecido pela UFPA via Pronera, mas é o maior da história da Superintendência Regional do Nordeste Paraense do Incra, com cem vagas, e o primeiro especificamente de Geografia. Para o coordenador do projeto do curso, professor Adolfo Oliveira Neto, essa é uma graduação fundamental para o público a quem se destina. “O curso é composto de quatro anos de licenciatura e um ano opcional de bacharelado. Nossa meta é não apenas formar esses alunos para serem professores da educação no campo, como também graduar bacharéis para atuar nas políticas de desenvolvimento agrário, que a população rural, muitas vezes, deixa de acessar por falta de conhecimento especializado”, explica. Assim, a proposta do curso, em consonância com os objetivos do Pronera, é fortalecer a educação das populações das áreas de reforma agrária, elevando seu nível de escolarização e ampliando sua possibilidade de intervenção na questão de terras. A premissa é que a Geografia pode ser um instrumento de luta simbólica e cultural dos camponeses pela manutenção de seu território, organização dos seus espaços de vida e desenvolvimento local, contribuindo para o protagonismo social das comunidades rurais.

Público – Todas as cem vagas ofertadas para o curso foram preenchidas, com uma grande variedade de origens dos assentados, seja ribeirinhos, seja agricultores familiares, seja extrativistas, seja quilombolas, de várias partes do Pará. “Essa diversidade de públicos é um desafio pra nós, mas é também muito interessante, porque teremos essa riqueza de experiências”, avalia Oliveira Neto. O curso, pautado na chamada Pedagogia da Alternância, prevê um “tempo-escola”, o período de cerca de 40 dias de aulas na universidade, e um “tempo-comunidade”, quando o aluno desenvolve as atividades acadêmicas em sua própria localidade no restante do tempo, num processo de ação-reflexão-ação do conhecimento. Nessa perspectiva, está prevista a visita dos professores nas comunidades, para auxiliar nesse processo. “Vamos nos programar para até o final do curso ir, gradualmente, até essas cem localidades, muitas das quais, em furos de rios. Também queremos garantir o intercâmbio dos alunos, para que conheçam as comunidades uns dos outros”, comenta o coordenador, evidenciando parte dos desafios a serem superados.

Movimento social – Para a criação do curso, a parceria UFPA-Incra contou, também, com um aliado presente a todas as discussões, o Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra (MST), contribuindo com a formatação das propostas. Os militantes Jane Cabral e Moisés Ferreira estiveram presentes às articulações desde 2011 e agora comemoram o resultado. “Todo curso que conseguimos para a população do campo é uma grande vitória, porque os camponeses são extremamente marginalizados do acesso à educação. Também queremos que esse espaço, ao ser aberto pra nós, possibilite a construção de outras coisas, como o fortalecimento da educação pública de qualidade”, ressalta Jane Cabral. Moisés Ferreira também enfatiza a importância da abertura do ensino superior aos públicos excluídos. “Nós, do MST, temos o lema de derrubar os muros da universidade para que o povo, o pobre, a população do campo entre. Entendemos que a reforma agrária não é apenas distribuição de terras: é também distribuição de saberes”.Texto: Ádria Azevedo – Ascom/IFCH  - Publicado no Portal da UFPA em 10/07/2015

Cerimônia de outorga de grau  da turma "Geografia das Águas e da Terra “Ulisses Manaças” 

O curso de Licenciatura e Bacharelado em Geografia Agrária  com ênfase em Desenvolvimento Territorial Rural, graduou a sua primeira turma . A cerimônia de outorga de grau  da turma "Geografia das Águas e da Terra “Ulisses Manaças” ocorreu no último dia 29 de maio de 2019,  no  Centro de Eventos Benedito Nunes.  A turma teve como paraninfa  a Prof. Dra.Márcia Mariana Bittencourt . 
Foram graduados  77 estudantes beneficiários das políticas do Programa Nacional de Reforma Agrária (Pronera) do Governo Federal. A primeira turma de Geografia Agrária do PRONERA tinha entre os seus  alunos camponeses, quilombolas e ribeirinhos de vários municípios do estado do Pará.
O curso foi iniciado em 2015 por meio de uma parceria da Faculdade de Geografia e Cartografia com o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária. 

Leia mais sobre o PRONERA :

Fórum Paraense de educação do campo discute ações do Programa Nacional na Reforma Agrária no Pará

Estudante da UFPA  se forma em Geografia  após defender trabalho final em assentamento

No Pará primeira turma de Geografia Agrária conclui Licenciatura

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página